APRESENTAÇÃO

Bamako vem da palavra bambara que significa “rio crocodilo”. É o nome da capital do Mali, e também o nome de um filme de Abderrahmane Sissako, um dos cineastas mais ativos da produção contemporânea no continente africano.

internet bamako 2013-02

Apresentação

Cinemas africanos e da diáspora. Cultura negra em debates e apresentações culturais. Educação popular e Ensino da História e Cultura Afro-brasileira. Estas são as principais ações articuladas pelo Cineclube Bamako, um espaço que traz o cinema como ponto de encontro e de partida para a reflexão e valorização das culturas afrodescendentes.

O Cineclube Bamako é uma iniciativa que traz como focos as cinematografias de países do continente africano e de sua diáspora, ainda pouco difundidas no nosso país em sua maioria; e cinematografias negras de diversas regiões do Brasil em exibições regulares e seguidas de debate.

Além das práticas artísticas e discussão, o cineclube também trabalha ações de suporte pedagógico para educadores que busquem o aprimoramento no Ensino da História e Cultura Afro brasileiras, através de sessões realizadas em comunidades, grupos culturais e espaços onde já existem ações focadas na cultura negra.

Estamos dando continuidade ao trabalho iniciado em 2012, quando realizamos experiências cineclubistas em diversas ações independentes no Grande Recife. Em 2021 completamos 9 anos de resistência, acumulando uma farta bagagem de articulação em outros estados além de Pernambuco. Desde 2017 temos feito temporadas em Porto Alegre-RS com ações cineclubistas e de produção audiovisual militante em parceria com movimentos negros e comunidades quilombolas.

O Cineclube Bamako em sua trajetória vem aproximando espaços de presença majoritariamente negra de PE e RS, a partir do contato com narrativas sobre negritude que fazem parte da formação cultural afro-brasileira, aprofundando reflexões sobre as vivências cotidianas e compartilhando saberes diversos, em especial os de tradição ancestral. O caráter político-pedagógico de nossas atividades traz a oportunidade de enxergar e escutar as nossas proximidades, sejam elas físicas, sociais, culturais, religiosas. Desta maneira, ao nos identificarmos como protagonistas desses filmes, fortalecemos nossas próprias narrativas e ações concretas no contexto da luta antirracista.

 

EQUIPE

FABIANA MARIA – Natural do Recife-PE e cidadã de Olinda-PE, reside atualmente em Olinda-PE. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de Pernambuco (UPE) e especialização em Mídias na Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atualmente é professora de dedicação exclusiva na Prefeitura de Olinda, na Escola Municipal em Tempo Integral Dom João Crisóstomo, desenvolve projetos educacionais, com a temática negro/indígena, educação e audiovisual.

Desde 2012 atua no Cineclube Bamako e enquanto cineclubista participou como júri de diversos festivais audiovisuais em Recife/Olinda-PE, escritora de dois livros infantis ainda não publicados e em 2018, realiza seu primeiro documentário, Cabelos de Redemoinhos.

GABRIEL MUNIZ – Natural do Recife-PE, reside atualmente em Porto Alegre-RS. Possui graduação em Design Gráfico pelo Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e graduação em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atualmente desenvolve estudo no Mestrado em Geografia (UFRGS), com a temática de paisagens sonoras em territórios negros no RS.

Desde 2003 desenvolve trabalhos relacionados a audiovisual, ilustração e design gráfico; É designer, cineasta, técnico de som direto, artista transmídia e pesquisador autônomo do campo de sonoridades em suas relações com artes, tecnologia, design, geografia e espiritualidade – buscando aprofundar estes campos numa perspectiva afrocêntrica.

Atua enquanto cineclubista em comunidades negras de Recife/Olinda-PE e Porto Alegre-RS junto ao Cineclube Bamako, pelo qual também realiza produções audiovisuais. Também é educador popular com experiências em design, som, audiovisual e arte tecnológica.

IRIS REGINA – Em Pernambuco atua como Educadora Popular, Pesquisadora e Artista Visual. Participa do Cineclube Bamako de Cinema Negro e teve a oportunidade de participar de alguns juris e curadorias do Estado, assim como Festival de Cinema de Triunfo, Janela Internacional de Cinema entre outros.

É sagitariana, filha de Xangô e integra também, o Coletivo Cabelaço-PE de mulheres negras e a Associação de Técnicas em Agroecologia de Pernambuco. Já realizou  trabalhos em várias áreas da cadeia do audiovisual.

Hoje é pós-graduada em Arte e Tecnologia pela Faculdade Federal Rural de Pernambuco e Técnica em Agroecologia pelo SERTA.

RAYZA OLIVEIRA – Natural e residente em Jaboatão dos Guararapes. Graduada em Fotografia (UNICAP), Pós graduada em Arte-educação (SENAC-SP) e graduanda em Pedagogia (UFPE), tem formação em Direção de Fotografia e Edição pela Academia Internacional de Cinema.

Participou da execução de projetos educacionais voltados para crianças e adolescentes nas áreas de cineclubismo, audiovisual e fotografia, como o CineCabeça e o Mais Educação nas Escolas.

Atua no Cineclube Bamako desde 2014. Participou de júris em diversos festivais, e colaborou em curtas-metragem, dirigindo seu primeiro curta em 2015.

É aquariana, praticamente de kemetic yoga, artesã e afro-empreendedora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: